Novo endereço

Novo endereço
.Graça e poder

domingo, 31 de dezembro de 2006

O Testemunho do Crente

O Testemunho do Crente
Texto-base: Cl 4.5-8

Jesus nos comissionou para sermos suas testemunhas (Jo 15.27; At 1.8).
A palavra “Testemunha” é de uso corrente nos tribunais, onde designa a declaração que uma testemunha presta a autoridades a fim de esclarecer fatos do seu conhecimento.

Cada crente deve testemunhar de Cristo. Testemunhar é falar do que Cristo fez por nós e pregar Sua mensagem (At 10.39-42). Também é dar o exemplo de uma vida cristã. É mostrar ao mundo que fomos transformados por Cristo. É a genuína expressão do Evangelho do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo na vida do crente.

ANUNCIANDO O EVANGELHO
Jesus mandou aos que foram alcançados por Sua graça, que dessem testemunho do que ele fez (Mt 8.4; Mc 5.19; Lc 9.60). Vemos na Bíblia, muitos novos convertidos testemunhando (Jo 1.40-42; 4.28-30, 39-42)
O Senhor ordenou à Sua igreja que anunciasse o evangelho (Mt 28,19,20).
É necessário que cada crente confesse a Cristo diante dos homens (Lc 12.8,9; 2 Tm 2.11-13)
Quando os crentes foram perseguidos, em vez de se esconderem com medo, de ficarem intimidados, eles oraram para que pudessem testemunhar com mais ousadia (At 4.24-31)
Pedro recomenda que estejamos preparados para testemunhar (1 Pe 3.15)
Paulo orienta que devemos treinar outros para também testemunhar (2 Tm 2.2)
Devemos pregar o evangelho, quer seja oportuno ou não (2 Tm 4.2; Fp 1.18)
Paulo até mesmo preso, pregava (At 28.31).

Tem gente com vergonha de testemunhar do plano de Deus para a nossa salvação, mas Paulo afirma que não se envergonha do evangelho (Rm 1.16)
Não devemos nos envergonhar, pois Deus nos dá o poder para testemunhar (2 Tm 1.7,8). Jesus disse que o Espírito Santo nos dará palavras para testemunhar (Mt 10.18-20; Mc 13.9-11).

REVELANDO UMA VIDA TRANSFORMADA
Não devemos dar escândalo ou ser motivo de tropeço para quem quer que seja (1 Co 8.9; 10.32,33; Rm 14.13; 2 Co 6.3; Fp 1.10)
O testemunho de uma vida transformada muitas vezes fala mais alto que a pregação do evangelho. “O que você faz soa tão alto que não ouço o que você diz”.
Os descrentes não lêm a Bíblia, senão no testemunho dos crentes.
Pedro orienta que as mulheres ganhem seus maridos pelo seu procedimento (1 Pe 3.1,2)

Devemos andar conforme o evangelho de Cristo, dignamente (Rm 13.13; 2 Co 8.21; Fp 1.27; Cl 1.10; 2.6; 1 Ts 2.12; 4.1,11,12; 1 Pe 2.12), diante de deus e dos homens, a fim de que Deus seja glorificado em nós.

Devemos andar com sabedoria (Cl 4.5), para não sermos levados pelos enganos e engodos dos falsos ensinos. É Deus quem dá sabedoria (Pv 2.6); é bem-aventurado quem acha a sabedoria (Pv 3.13); o sábio diz que a sabedoria é a coisa principal (Pv 4.7). Quando o apóstolo se refere aos "que são de fora", deixa claro que os crentes são "os que são de dentro". Aí se vê a diferença. De fato, os seguidores de Cristo são, na verdade, neste mundo, peregrinos e forasteiros (Hb 11.13; 1 Pe 2.11). Estão no mundo, mas não são do mundo (Jo 15.19).
Nossos costumes e hábitos diários devem ser governados pela mente divina de Cristo (1 Co 2.16). "Sede prudentes como as serpentes e símplices como as pombas" (Mt 10.16). Andar com sabedoria é equivalente a andar nEle (Cl 2.6). Nenhum cristão deveria dar aos incrédulos qualquer base para caluniar Cristo ou Sua Igreja (Cl 1.22; 1 Tm 3.7). Somos abençoados quando as pessoas nos acusam "falsamente" (Mt. 5:11). A igreja primitiva tinha poder e pureza em sua união com Cristo (At 5.12,13).
Devemos aproveitar as oportunidades (Cl 4.5), pois não sabemos se teremos outra chance de pregar àquela pessoa. Esperar o momento certo e fazer a abordagem adequada.

Nossas palavras devem revelar o amor de Deus em nossos corações (Mt 12.34), sendo pronunciadas na medida certa (temperada com sal), para não falarmos de menos (insosso) ou demais (salgado demais).
Também deve ser pura (Ef 4.29) e conveniente, não deixando de ser enérgica quando necessário (At 15.1,2; Gl 1.9).
A conversa do crente deve ser agradável, cativante, amável e graciosa. Deve ser uma linguagem originada na graça de Deus operando em nosso coração, que contenha a verdade com amor (Ef 4.15).
Remindo o tempo: o bom ou mau uso do nosso tempo tembém testemunha do que é mais importante para nós: Cristo (Bíblia, oração, evangelização, etc) ou o mundo (TV, música profana, etc).

Devemos testemunhar de Jesus:
Em toda parte (At 1.8)
Em nossa casa (Mc 5.19,20)
No trabalho (1 Tm 6.1)
Os pastores também devem dar bom testemunho (1 Tm 3.7)

PASSOS PARA DAR UM BOM TESTEMUNHO
Pedir orientação e sabedoria de Deus para agir, falar, resolver problemas (Tg 1.5, 6; 3.17).
Seja zeloso, honesto. Tenha uma conduta moral séria, demonstrando cordialidade para com as pessoas. (1 Pe 2.15-17)
Evite contendas, brigas, discussões (2 Tm 2.14,15).
Esteja sempre preparado para explicar claramente o Evangelho (1 Co 15.1-4).
Fale sempre com clareza acerca da condição para a Salvação: Fé e arrependimento (Rm 10.9, At 2.37-38).
Conscientize as pessoas de que elas precisam tomar uma decisão urgente com Cristo (At 10.30,31)
Demonstre sua segurança em Cristo, sua alegria na certeza da vida eterna (1 Jo 5.10-12).
Não se deixe vencer pela timidez. Aproveite todas as oportunidades para falar do Salvador (2 Tm 4.2).

QUEM É O CRENTE QUE DÁ BOM TESTEMUNHO
Aquele em que o Senhor fez alguma coisa (1 Cr 16.8)
Aquele que teme ao Senhor (Sl 60.4)
Aquele que foi remido pelo Senhor (Sl 107.2)
Aquele que reconhece a soberania de Deus (Is 12.4).

DE QUE MANEIRA O CRENTE DEVE DAR BOM TESTEMUNHO
Cheio do Espírito Santo (At. 1.8)
Sem temor ou vergonha (2 Tm 1.8)
Com prontidão constante (1 Pe 3.15).

AS PROVAS DE UM VERDADEIRO TESTEMUNHO
Por uma experiência pessoal (Sl 66.16)
Por entender que é um dever diário (Ml 3.16)
Para relatar as bênçãos de Deus (Is 63.7)
Porque há um fogo no seu intimo (Jr 20.9)
Inspirado pelo Espírito Santo (At 2.4)
Por compromisso com a sua fé (At 4.20)
Por ter crido em Jesus (2 Co 4.13).

O MAU TESTEMUNHO DO CRENTE
Provoca escândalo (Rm 14.15; 2 Co 6.3)
Exerce má influência (Rm 14.15)
Impede o crescimento da obra (At 28.31)
Forma juízo geral sobre demais irmãos (1 Co 6.8).

TIPOS COMUNS DE MAU TESTEMUNHO DO CRENTE
No lar - brigas, desmandos, autoridade excessiva, gritos, confusões, conversações, mentiras.
Na rua - Companhias, vestes, falar, proceder, comentários sobre vida alheia.
No comércio - Compras e não pagamento, emissão de cheque sem fundo, trambiques.
Na igreja - Vestimentas, comportamento, falar, proceder, respeito, amor e prática.
Na escola - Companhias, conversações, piadas, abjuração, negação.
No trabalho - Conversações, procedimentos, pontualidade, assiduidade e respeito, negação.
Na vizinhança - Conversações, procedimentos, brigas, desrespeito, comentários da vida alheia.

Obras Consultadas:
HARBIN, Chrístopher B. A Vida Discipulada, Lição 9. Imprensa Bíblica Brasileira, 1998).

Carlos Kleber Maia
Natal / RN, 2006.

3 comentários:

GILBERTO disse...

"CURA DIVINA DA AIDS!"

Nascido em 20/8/1962 e criado na Zona Sul do Rio de Janeiro. Venho de uma família de classe média toda voltada ao espiritismo. Sou filho de Marilu Scalzo Legey e Milton Pereira Legey (In Memorium), famoso compositor das décadas de 50 e 60, autor de várias músicas famosas, dentre elas: Fósforo Queimado, Rolei Rolei etc. Meu pai era irmão de Aloysio Legey, diretor de núcleo de vários programas da Rede Globo de televisão (Criança Esperança, Desfile das Escolas de Samba, Show da Virada etc.), do qual sou sobrinho e afilhado. Fiz faculdade de Letras(Port/Ing) e academia de artes maciais (Jiu-Jitsu/faixa-preta). Aos 18 anos, herdei do meu avô materno uma construtora, Arthur Scalzo & Cia Ltda. Fiquei rico, tinha poder, mulheres, carros, viagens etc. e tudo mais que o mundo poderia oferecer de melhor.

"Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam" (Mateus 6:19)

Aos 21 anos, me tornei dependente químico e chegei a usar todas as drogas, tendo tido inclusive 3 overdoses. Com as drogas vieram a perda de caráter, da personalidade, a prostituição e a falência. Para tentar não cair de padrão de vida entrei na marginalidade e no mundo do crime, passando a comprar carros roubados, posteriormente roubando os própirios carros, emitindo cheques sem fundos, realizando golpes e participando de falcatruas. Fui preso, julgado e condenado a 23 anos pelos diversos crimes cometidos. Participei de diversas rebeliões, motins, greves de fome etc. Cumpri 8 anos em regime fechado em diversos presídios: Presídio Ary Franco (Água Santa), Instituto Penal Edgard Costa (Niterói), Presídio Hélio Gomes e Penitenciária Lemos Brito no extinto Complexo Penitenciário da Frei Caneca/RJ e 4 anos em regime semi-aberto no Instituto Penal Plácido Sá Carvalho no Complexo Penitenciário de Gericinó/RJ. Lá deparei-me com o Diretor Paulo Roberto Rocha, que tinha sido meu aluno de defesa pessoal quando fez prova para o DESIPE. Ele foi um dos precursores a incentivar o convênio para usar a mão de obra carcerária para trabalhar nas ruas, e posteriormente assassinado na Av.Brasil.

Em 1998, conheci a pessoa que me mostraria a palavra de Deus, e que hoje é a minha amada esposa, Verônica Legey.

"Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem." (Mateus 19:6)

Em 2001, como falei, foi feito um convênio entre a Secretaria de Justiça, a Fundação Santa Cabrini, a Secretaria de Administração Penitenciária e a CEDAE, pelo então Governador do RJ, Anthony Garotinho e o diretor da CEDAE/Zona Oeste na ocasião, Alcione Duarte. Consegui então, um emprego digno onde trabalhei até Dezembro/2006 na CEDAE.

"Veio, porém, a lei para que a ofensa abundasse; mas, onde o pecado abundou, superabundou a graça" (Romanos 5: 20)

Mas, depois de tantos pecados e orgias, colhi o que plantei. Descobri que estava com AIDS. Passei 3 anos tomando os coquetéis anti-retrovirais. Participei de uma campanha feita pelo Pastor Ricardo Barros de Belo Horizonte/MG, que tem o Ministério da cura...

"Ele é o que perdoa todas as tuas iniqüidades, que sara todas as tuas enfermidades" (Salmos 103:3)

Deus continua operando os mesmos milagres de 2000 anos atrás, Deus curou-me da AIDS. Tenho os exames comprovando a cura. Basta aceitá-lo, arrepender-se, converter-se dos maus caminhos e ter Fé, pois sem Fé é impossível agradar a Deus.

Deus também me concedeu o dom de ter a unção da cura e libertação.

"E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra." (2 Crônicas 7:14)

"Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam." (Hebreus 11:6)

Este é apenas um resumo das maravilhas que Deus fez na minha vida. Convites para pregações, testemunho, palestras sobre dependência química, DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis), congressos etc, entrem em contato comigo:


Gilberto Scalzo Legey
Tel.: (21) 3384-2694 ou (21) 9887-5392;
E-mail: gilbertolegey@cooperadoresdedeus.com;
MSN: gilbertoscalzolegey@hotmail.com
Homepage: www.cooperadoresdedeus.com

Raquel SVR Matos - Deus é Grande disse...

Ola irmao, a Paz, vou publicar partes desse texto em meu blog com os devidos creditos. E também esse testemunho de cura! Louvado seja Deus! Deus o abencoe em nome de Jesus! Amen

Cris e Léo disse...

Paz, também publiquei a introdução numa página no Facebook a saber www.facebook.com/setoca.Jesusteama?fref=ts, que Deus em Cristo te abençoe, contudo registrei a fonte.
Abraço.
(Cris)